PÁGINA INICIAL DICIONÁRIO          LITERATURA                 QUEM SOMOS              FALE CONOSCO                    100 ERROS               SIMULADOS

 

Sujeito
O sujeito pode se apresentar como um pronome, um substantivo, um numeral, uma palavra substantivada ou uma oração substantiva. Pode vir
antes ou depois do verbo; no começo, no meio ou no final da frase.
Observe alguns exemplos:
As casas foram pintadas.
Aconteceram muitas brigas entre eles.
Neste inverno, ocorreram diversas geadas.

Tipos de Sujeito

01) Sujeito Simples: é aquele constituído de apenas um núcleo. O núcleo do sujeito será representado por um substantivo, por um pronome
substantivo ou por qualquer palavra substantivada. Núcleo é a palavra mais importante do sujeito.

Exemplo: A menina foi à escola.

Quem foi à escola? Resp.: A menina. Sujeito Simples.

02) Sujeito Composto: é aquele constituído de dois ou mais núcleos. Os núcleos do sujeito composto são, quase sempre, ligados pela conjunção e.

Exemplo:  O aluno e a professora ofereceram ajuda ao colega.

Quem ofereceu ajuda? Resp.: O aluno e a professora. Núcleos = aluno, professora -   Sujeito Composto.

03) Sujeito desinencial: quando fica subentendido na desinência do verbo. Ocorre em duas situações.

a) Quando perguntarmos ao verbo quem é o sujeito e obtivermos como resposta os pronomes eu, tu, ele, ela, você, nós ou vós,
sem estarem escritos na oração. O sujeito desinencial também pode ser chamado de sujeito elíptico, oculto,  ou sujeito subentendido.

Exemplo: Andamos a cavalo.

Quem andou? Resp.: Nós. Como o pronome não está expresso na oração, ele é desinencial.

b) Quando o sujeito não estiver escrito na oração, porém aparecer claro em orações anteriores.

Exemplo: Os deputados chegaram ao Rio de Janeiro  ontem à noite. Terão um encontro com o governador.

Quem chegou ao Rio de Janeiro ? Resp.: Os deputados. Núcleo = deputados. Sujeito Simples.

Quem terá um encontro? Resp.: Não surge o sujeito escrito na oração, porém na oração anterior aparece, com clareza, quem é o sujeito =
os deputados. Portanto, sujeito desinencial.

04) Sujeito Indeterminado : ocorre quando não se quer ou não se pode identificar claramente a quem o predicado da oração se refere.
Em português, há duas formas de indeterminação do sujeito. Veja:

Regra 1

Verbo na terceira pessoa do plural na voz ativa. ( O pronome pessoal eles tem que estar subentendido)

Exemplo: Quebraram a vidraça.

Quem quebrou a vidraça? Resp.: Eles. Não está expresso na oração, nem aparece, com clareza, portanto sujeito indeterminado.

Regra 2

Verbos na 3ª pessoa do singular + partícula de indeterminação do sujeito SE.

Exemplo: Vive-se bem aqui.
                  Precisa-se de professores.


IPC: Nesse caso, só acontece sujeito indeterminado se o verbo for intransitivo ou transitivo indireto.

IPC:  Em frases como Vendem-se casas”, compram-se terrenos”, “alugam-se apartamentos”, as palavras casas, terrenos, apartamentos são sujeitos dos
verbos vendem, compram, alugam. Por isso, esses verbos estão no plural, concordando com o sujeito. ( são verbos transitivos diretos e o SE é partícula apassivadora).


05) Orações sem sujeito ou sujeito inexistente: Haverá oração sem sujeito ou sujeito inexistente quando não for atribuído fato a ser algum.

Como acontece esse tipo de sujeito?

a) Com verbos que indiquem fenômenos da natureza: ( ventar, chover, amanhecer, anoitecer, relampejar, nevar, gear, trovejar )

Exemplo: Choveu muito em Santa Catarina.
                  Ventou bastante ontem..

IPC:  Quando esses verbos aparecerem na oração com sentido figurado, haverá sujeito.


Exemplo: Choveram pétalas de rosas em minha casa.
                  Trovejaram palavras de baixo calão.

b) Verbos ser, estar, indicando clima ou tempo cronológico.

Exemplo: É primavera, mas parece verão.
                 Está frio hoje.
                 São duas horas.

c) Verbo
fazer indicando clima ou tempo decorrido.

Exemplo: Faz dias que não vou a sua casa.
                 Faz três dias que não a vejo.

d)
Haver, significando existir ou acontecer, ou indicando tempo decorrido.

Exemplo:
muitos problemas naquela casa.
               
 (Existem...)
                
Há dois anos ele esteve aqui em casa.

e) Passar de, indicando horas.

Exemplo: Já passa das 15h.

f) Chegar de e bastar de, no imperativo.

Exemplo: Chega de matéria.